sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Novo 'EverQuest' terá ambientes destrutíveis, como em 'Minecraft'

Novo 'EverQuest' terá ambientes destrutíveis, como em 'Minecraft'


'EverQuest Next' é o novo MMORPG da Sony (Foto: Divulgação/Sony Online Entertainment)

Sony Online Entertainment (SOE), divisão responsável pelos games online da empresa japonesa, confirmou na sexta-feira (2) o desenvolvimento de um novo "EverQuest", uma das séries mais populares do gênero "MMORPG" (jogo online de RPG com suporte massivo a vários jogadores). "EverQuest Next" chega aos PCs gratuitamente e ainda não tem data de lançamento confirmada.

Uma das principais novidades do game é a inclusão de ambientes totalmente destrutíveis, como no game "Minecraft". Dessa forma, o jogador poderá derrubar uma ponte para impedir o avanço de inimigos, ou abrir um buraco em uma montanha para explorar as suas cavernas e descobrir novas missões.

Em contrapartida às possibilidades de destruição, a Sony anunciou também uma ferramenta de criação chamada "EverQuest Next Landmark", que deve ser lançada ainda neste ano. Com ela, os jogadores poderão construir cenários e edifícios e inserir suas obras no próprio jogo. O modo conta ainda com um sistema de materiais que permite o uso de diferentes tipos de elementos – como pedras, madeiras, etc. – nas construções.

Evolução
De acordo com a SOE, "EverQuest Next" não terá o habitual sistema de níveis de um RPG. O jogador irá evoluir seu personagem criando combinações de habilidades e especialidades das mais de 40 classes distintas do game.

Proibição
Em 2008, o Procon proibiu as vendas dos games "Counter-Strike" e "EverQuest" em todo o Brasil. Na época, de acordo com a decisão do juiz federal Carlos Alberto Simões de Tomaz, da 17ª Vara Federal da Seção Judiciária do Estado de Minas Gerais, os games "foram considerados impróprios para o consumo, na medida em que são nocivos à saúde dos consumidores".

No entanto, desde então, vários outros títulos dos gêneros de tiro em primeira pessoa e MMORPG, de "CS" e "EQ, respectivamente, foram lançados e são comercializados normalmente em território nacional.

G1

Nenhum comentário :

Postar um comentário